Experimente Ouvir - Música

Experimente Ouvir: VAST.

Estreando uma nova coluna aqui no blog voltada a músicas e bandas mais ‘desconhecidas’ e que a partir de agora vocês poderão conhecer e apreciar suas obras.

Começando esta com uma banda que me foi apresentada em 2006 e até quem me apresentou acabou conhecendo totalmente por acaso. Vamos falar de uma mistura de rock experimental com música eletrônica e letras fortes.
VAST – Visual Audio Sensory Theater
VAST (2)
VAST é uma banda do Texas, EUA formada em 1998 por seu vocalista, líder e compositor Jon Crosby que ainda muito jovem decidiu misturar vários estilos musicais que gostava como metal, pop, eletrônica, clássica e criar algo único e impossível de classificar.
Mesmo que tudo aquilo parecesse um erro e estivesse fadado ao fracasso, não foi o que aconteceu. De toda aquela mistura veio uma música diferente e extremamente legal e indescritível. Música boa, são as palavras certas.
Em 1998 a banda já assinou o contrato com a gravadora Elektra e lançou seu primeiro álbum auto-intitulado, um dos melhores daquele ano e de toda a carreira da banda. O segundo CD, embora a banda tenha ganhado muitos fãs, não foi do padrão esperado pela gravadora e assim a banda passou a lançar músicas na internet para download, o que Jon descobriu que era um caminho muito mais próximo para chegar aos fãs.
Atualmente a banda tem seis álbuns de estúdio e sete outros projetos paralelos sendo o último um ao vivo lançado em 2011.
Como conheceu?
Conheci esta banda através do meu noivo em 2006 e quando ainda nem éramos namorado. No dia da feira de informática da ETEC de Guainazes ele levou alguns AMV’s de anime para apresentar para as pessoas que passariam por ali. Foi em um deles que vimos uma bela cena do anime Naruto com uma música bem diferente e que ao mesmo tempo se encaixava a aquele momento de forma perfeita.
Depois procurando sobre a banda e fizemos o download do primeiro disco.
vast
Porque ouvir?
Porque como dito na história da banda, é uma mistura de vários estilos que formou algo único e que deu muito certo. São músicas profundas que falam desde o amor mais…’intenso’ até o sentimento mais bruto e violento, quase insano.
Jon trouxe a batida certa a letras que significam muito sem ter exaltação. Ele canta baixo, as vezes sussurra e ainda quando canta mais alto, não precisa gritar, sua voz já chegou ao ponto certo para fazer toda a diferença.
 Vou lhe apresentar os videoclipes das duas músicas que eu mais gosto dele. Uma por ser a primeira que eu vi, Touched. A segunda, Pretty When You Cry, por ter uma letra bastante forte e ainda sim ser tão bonita.

 

“Eu olhei nos seus olhos e vi um mundo onde nada existe. Eu olhei dentro dos seus olhos e vi…um mundo e eu gostaria de estar lá…Nunca mais vou te encontrar bastante comovido, como você. Eu nunca vou ter um pouco de seu amor…. Bastantes os propósitos… Fui eu quem amou você” – Touched

 

“Se você soubesse quanto eu amei você, você iria embora, mas trata-lo mal, sempre o faz querer ficar. Eu não quis o ferir, baby…Eu não quis o ferir…Eu não quis o ferir, mas você é bonita quando você chora…” – Pretty When You Cry

Ouçam, conheçam, apreciem e me digam o que acharam.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s