Coisas de Mim · Coisas que Escrevo

Coisas que Escrevo: Enquanto a chuva cai lá fora…

alone-bampw-black-and-white-girl-lonely-favim-com-339133_large

Ler Ouvindo Aqui e Aqui.

Estou aqui, caminhando e ao mesmo tempo estática. Enquanto a paisagem vai passando diante dos meus olhos, eu não a vejo realmente, eu apenas penso.

Penso enquanto a chuva vai caindo lá fora, fina, fria, gelando os ossos dos desprotegidos, dos desatentos, dos desolados. Não me molho, mas embora esteja segura, é como se o frio me atingisse em cheio, sem dó, sem perdão.

A vida passa lenta lá fora e até mesmo o céu se recusa a me ajudar. O sol não fez questão alguma de aparecer, jogar seus raios quentes sobre mim, me trazendo um pouco de felicidade ou ao menos, paz. Era só o que eu precisava, um pouco de paz.

As lágrimas ainda teimam em rolar pelo meu rosto, eu tento controlar, mas não consigo. É difícil segurar os sentimentos mesmo quando a minha vontade era esbravejar ao mundo o quanto ele é injusto e o quanto eu queria ser feliz. Que ele não tinha o direito de me jogar no abismo no momento em que eu menos estava preparada para morrer, ao menos por dentro.

Limpo a água que escorre pela minha face não querendo que as pessoas vejam minha dor, mas percebo que elas nem ao menos se importam, não ligam, nem olham. É como se eu fosse invisível, sozinha, isolada nesse mundo triste, nessa paisagem sem graça e cinzenta.

Respiro fundo, levanto a cabeça e mais uma vez tento focar em alguma coisa, pensar em algo pra me tirar dessa dor sem fim, ou talvez dessa dor momentânea, mas que ainda sim dói, sem pena de tentar me dilacerar profundamente.

Enfim percebo que talvez eu precise me encontrar novamente, o meu eu verdadeiro, deixar todo esse passado obscuro para trás, afinal, a vida é muito mais do que uma jornada sem fim. Não preciso dos olhares, das consciências alheias, só preciso de mim mesma e mais ninguém.

Então eu chego ao meu destino, desço da locomotiva que permanecia e finalmente coloco meus pés no chão e percebo que eles estão firmes, que me sustentam perfeitamente. Se é assim, então porque e pra que cair?

Levanto meus olhos novamente para o céu e embora ele ainda esteja cinzento, não me importo mais, porque sei que pode não ser hoje, mas um dia o sol vai voltar a brilhar novamente, assim como eu.

Melhor deixar a dor para trás, afinal tudo não passou de um coração partido e eu, ainda sou muito nova para me importar com isso. Melhor esquecer e viver, um dia de cada vez. Viver.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s